Perante os cenários de guerra que todos os dias entram nas nossas casas, sentimos uma angústia inexplicável, porque não conseguimos compreender o que motiva as nações a desejarem destruir-se, respondendo aos ataques cada vez com maior violência, causando a morte de milhares de inocentes.

Todos os povos deveriam ter como leis fundamentais a sua Autonomia, a Liberdade e o Respeito pelo seu semelhante. Nenhum povo à superfície da Terra merece ser escravizado e explorado por interesses vis de minorias. Nenhum povo merece ser castigado por erros que não cometeu, por razões que desconhece. Nenhum povo, em qualquer lugar deste Planeta, merece ser massacrado e morto, sem ter hipóteses de se defender dos agressores desumanos e poderosos que tudo dominam.

Temos a dolorosa sensação de que a evolução e o progresso democrático nunca mais chegarão a todos os povos.

Vemos a oriente, ainda dominarem a mente humana os modelos de justiça praticados na antiguidade.

Um dos mais famosos tipos de justiça conhecido pela sua crueldade e cuja ressonância ainda hoje se faz sentir é a “LEI DE TALIÃO”, também conhecida como: “OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE”.

Todos sabemos o que isto significa. Quem cometesse um crime seria castigado com igual punição, única forma de retaliação. Porém, muitas vezes, a retribuição poderia ser pior do que o crime cometido ou talvez até a morte.

A LEI DA BABILÓNIA impôs um limite a essas acções. Limitou a retribuição, não permitindo ser pior do que o crime cometido, no caso da vítima e do agressor terem o mesmo estatuto social. Estavam excluídos os crimes contra um deus ou um monarca, sendo esses punidos com maior severidade.

Mais tarde, a LEI ROMANA alterou os procedimentos jurídicos, dando o direito a uma compensação monetária como substituição da vingança, embora a antiga LEI DE TALIÃO ainda fosse permitida no caso de um agressor partir um membro ao agredido.

Com a vinda de JESUS CRISTO, no início da nossa era, chamada a ERA CRISTÃ, a sua principal pregação tinha como fundamento o AMOR, devendo todos os homens “AMAR-SE UNS AOS OUTROS, COMO DEUS OS AMOU”. Se tal sonho se tivesse tornado uma realidade, não assistiríamos aos dramas que nos arrepiam o corpo e a alma.

Infelizmente, vemos o contrário. Os homens matam-se em nome de um deus que inventaram para justificarem todos os seus sentimentos mesquinhos e ambições desmedidas de domínio de outros homens. 

Os povos vivem em constante sobressalto, pois nada impede os poderosos de invadirem os seus territórios e lhes roubarem a vida.

Alguns justificam os seus actos bárbaros como retaliação de injustiças praticadas por quem não respeita o Direito Internacional, quem não lhes concede a Liberdade a que têm direito.

Nos nossos dias não precisamos viajar para ver como certos povos vivem num atraso de vida inaceitável e como são escravizados e desumanamente tratados.

Os senhores do poder consideram-se mensageiros de um deus que nada terá de verdadeiro, comparado com o que será o DEUS VERDADEIRO!

Mais uma quadra NATALÍCIA se aproxima e sentimos a tristeza de vermos neste planeta que habitamos, a Paz continuar sendo uma utopia; o Amor ser uma palavra vazia.

Para quem tem a felicidade de viver em tranquilidade, desejo um Feliz Natal.

Para os que sofrem as dores da perda dos seus familiares e amigos e se sentem impotentes para virarem as páginas negras da História, desejo a maior coragem e que a Esperança não morra em seus corações. 

Que o ano de 2024 seja muito diferente e melhor para toda a humanidade. Haja mais justiça e compreensão.

Talvez seja uma boa altura para recordarmos o SERMÃO DA MONTANHA e as BEM-AVENTURANÇAS

As bem-aventuranças (Mt 5, 3-12)

– Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos céus.

– Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra.

– Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.

– Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

– Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

– Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.

– Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.

– Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o Reino dos céus.

– Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa, vos insultarem, vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal de vós.

–  Alegrai-vos e exultai, pois é grande nos céus a vossa recompensa».

Graça Foles Amiguinho

Graça Foles Amiguinho

Colaboradora Portuguesa

“Son Maria de Graça Foles Amiguinho Barros. Vivo en Vila nova de Gaia, pero nascín no Alentejo, nunha aldeia pequena chamada A Flor do Alto Alentejo.

Estudei en Elva. Fiz maxisterio en Portoalegre. Minha vida foi adicada ao ensino durante 32 anos, aos meus alumnos ensineilles a amar as letras, o país, as artes e a cultura. 

Meu começo coa poesia aconteceu de xeito dramático cando partin os dous braços, en 2004 comecei a escribir poesia compulsivamente, en 2005 xa tiña o primero libro editado  O meu sentir…”

Día de Santo Antonio

máis artigos

♥♥♥ síguenos ♥♥♥