William I. Robinson: Mano dura. El estado policial global.

Domingos Antom Garcia Fernandes

William I. Robinson: Mano dura. El estado policial global. Los nuevos fascismos y el capitalismo del siglo XXI, Errata naturae editores, Madrid, novembro de 2023.

Apenas algumas linhas para o convidar a ler iste livro de 2020, que acaba de ser publicado alguns dias atrás. E uma boa maneira de fazer isso é coletar as capas frontal e traseira.

Na frontal figuram uma citaçom de Noam Chomsky em que ele avisa de que se está a conformar diante dos nossos olhos um estado policial global controlado pelo grande capital (nas mãos duma minoria) que abandona ao seu destino à humanidade excedente. E outra de Mike Davis onde confirma que o fascismo está a renascer e que a própria repressom se tornou um motor essencial da acumulaçom capitalista.

El estado policial global. Los nuevos fascismos

E na traseira escreve, entre outras cousas, que o neoliberalismo dispara desigualdades para limites insuspeitados e que os indivíduos se tornam descartáveis. Uma populaçom excedente que representa uma ameaça de rebeliom para a classe capitalista. E para a conter tornam-se onipresentes todos os tipos de sistemas de controle, rastreamentos biométricos, encarceramentos generalizados, navios-prisom, violência policial, perseguiçom de migrantes, repressom contra ativistas ambientais, eliminaçom de benefícios sociais, despejos, precariedade das classes médias, guerras estratégicas apoiadas pelo capital privado… Assim, o estado policial já nom se refere a um mecanismo policial e militar, mas à própria economia global como uma totalidade repressiva, cuja lógica é tam comercial quanto política e cultural. 

 E, enquanto a ganância infinita da classe dominante mergulha o capitalismo numa crise sem precedentes (ao levar a degradaçom ecológica e a deterioraçom social ao seu limite absoluto), o neofascismo fortalece a sua posiçom naquele Estado policial global cujo objetivo é a exclusom coercitiva do excedente de humanidade (…). Demonstra até que ponto o capitalismo do século XXI se tornou um sistema absoluto de repressom como único método para permanecer de pé para além das suas contradiçons terminais, e defende a urgência de criar um movimento que transcenda meros apelos à justiça social e seja um ataque à yugular.

cidadan para o artigo de Domingos de Isidro Cortizo
Domingos Antom Garcia Fernandes

Domingos Antom Garcia Fernandes

Profesor de Filosofía

Domingos Antom Garcia Fernandes, nasceu em Hermunde-Pol,  na Terra Chá, a 21 de Janeiro de 1948. Freqüentou dez anos de estudos eclesiásticos no Seminário Diocesano de Lugo. Mestre de Primeiro Ensino pola Escola Normal de Lugo, licenciado e doutor em Filosofia pola USC. Foi professor de EGB e catedrático de Filosofia no Ensino Secundário. Membro fundador da Aula Castelao de Filosofia, da qual foi porta-voz e coordenador e na atualidade Membro de Honra. Foi professor de Antropologia Geral, História da Antropologia e Antropologia Económica na UNED de Ponte Vedra.

Historia de vida

De igualdades fictícias

máis artigos

♥♥♥ síguenos ♥♥♥